A DANÇA COM DEUS

1
263

Uma boa forma de visualizar a relação do ser humano com Deus é de um casal dançando.

E é Deus, através do Espírito Santo, quem se aproxima e “tira a pessoa para dançar”. A iniciativa da relação precisa caber a Ele pois o ser humano, deixado por conta própria, nunca vai dar os passos necessários para se aproximar de Deus.

Mas a pessoa precisa aceitar o convite. Afinal, o livre arbítrio lhe dá essa possibilidade de escolha, inclusive a de se recusar a “dançar”, como acontece, por exemplo, com os ateus. E quando a pessoa aceita o convite do Espírito Santo e se aproxima de Deus, aceitando Jesus como seu Senhor e Salvador, a “dança” começa de fato.

A dança é uma boa metáfora para a relação entre o ser humano e Deus porque nela os parceiros precisam ficar atentos e reagir adequadamente aos movimentos um do outro. É preciso haver harmonia para ser possível dançar bem.

Os parceiros precisam estar de acordo quanto a uma série de coisas: o ritmo a ser seguido, quem guia (e quem é guiado), a duração da dança, a distância que vão guardar um do outro e assim por diante.

O ser humano sempre tem voz ativa no que vai acontecer na sua relação com Deus. Definirá, em boa parte, o tipo de “dança” que será vivida. Pode “dançar” um pouco e parar. Recomeçar, no momento que desejar. Pode “dançar” de forma fria e distante, como se cumprisse uma obrigação. Ou pode se entregar de corpo e alma.

Deus é um parceiro especial: sempre atento e desejoso de se relacionar bem. Ele nunca perde o interesse na “dança”, mesmo tendo sido rejeitado anteriormente. E responde ao estímulo da pessoa: caso ela se aproxime mais, Deus fará o mesmo.

Agora, a harmonia da “dança” só vai ocorrer de fato se a pessoa entender que cabe a Deus guiar, e a ela, seguir. Sempre. Pois quando o ser humano tenta liderar a “dança”, os resultados nunca são são bons.

Vou dar um exemplo tirado da Bíblia. Deus tinha prometido a Abraão que lhe daria um filho, embora ele e sua mulher já fossem velhos. Como a promessa demorou a se realizar, Sara, mulher de Abraão, resolveu “ajudar” a Deus – assumir a liderança na “dança”.

Sara deu sua escrava, Hagar, para Abraão, imaginando que a moça pudesse gerar um filho. E Hagar gerou Ismael. Mas, anos depois, quando a promessa de Deus se cumpriu, e Sara teve seu filho, Isaque, estabeleceu-se uma rivalidade entre as duas mulheres. E a situação somente acabou resolvida quando Hagar foi exilada. E muitos problemas foram gerados a partir daí.

Quando se “dança” com Deus, é preciso lembrar que Ele não somente deve guiar, como também foi quem contratou a “orquestra” e providenciou a “comida e bebida”. Tudo ocorre por sua causa e iniciativa.

Esteja disponível para participar dessa “dança”. Entre nela com vontade e dedicação. E nunca saia do “salão de baile”, deixando-se distrair por outras prioridades. E aprenda a depender da liderança com Deus. Será melhor assim, pode ter certeza.

Com carinho

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Ana Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ana
Visitante
Ana

Quando aceitamis jesus e deixar ele no comando , e ser consistente na sua palavra nao ha chance das coisas darem eradas, ate porque nos recebemos tudo quando nascemos de novo.